Oferta!

Mil olhos, mil braços: relatos de um punk antropofágico na China vermelha

Autor: Ale Amazonia
Preparação: Hugo Albuquerque
Revisão de texto: Lígia Magalhães Marinho
Capa e diagramação: Rodrigo Corrêa/@cismastudiocisma
Selo: Longa Marcha
Arte do logo da coleção: Danyelle Omm
ISBN: 978-65-87233-66-6
Páginas: 212
Ano: 2021

R$40.00

Sobre o autor

Ale Amazonia

Ale Amazonia é um artista multidisciplinar, nascido em Curitiba/Brasil. Como músico, iniciou e seguiu atuando como baterista em bandas de punk desde de sua adolescência até 2012; ano em que se mudou para China, onde morou por 8 anos. Por lá, inicialmente foi estudar mandarim na Universidade Jiaotong em Xangai, e trabalhou com comércio por certo tempo. Em 2014, conheceu o músico e compositor chinês Guang Xiaotian, e logo se tornaram amigos. Ele então o convidou a integrar sua banda de punk: Oh! Dirty Fingers e assim iniciou sua carreira de músico na China. Com 3 álbuns gravados e diversas turnês no currículo, a banda alcançou sucesso de público e da crítica especializada.

Foi necessária não mais do que meia década para os Dirty Fingers, banda do subúrbio de Xangai, conquistarem todo o território chinês. Este é um livro biográfico-ficcional de uma história presente, uma experiência de self-in-process, inacabada, como se a música fosse uma metáfora da própria identidade que vem sendo construída por Xiaohai, Xiaotian, Haiming e Ale Amazonia, o baterista brasileiro que dá voz à narrativa. E assim como uma composição, a história se faz, ela nasce, criam-se os arranjos, ela é gravada em apenas uma forma, dentre as diversas opções, que depois são feitas em performances e multiplicadas. Não existe aqui uma rigidez quanto aos fatos, até porque, ao falar sobre passado, tudo é dilatado; sobre o futuro, tudo é imprevisível. E como na lógica taoísta de percepção sobre a vida, a única ordem/regra da vida é a inconstância dela mesma. No entanto, naquela manhã do dia 1° de abril de 2019, ao consultar o oráculo I-Ching, o Hexagrama 23 era taxativo: Desintegração. “Seus aliados foram presos ou mortos, os alicerces de sua casa estão prestes a desabar, as forças inimigas avançam implacavelmente sobre suas terras, os ardilosos, manipuladores e dissimulados finalmente se revelam para subir ao seu trono, fuja para sobreviver ou prepare-se para sua total derrota”. Só é possível estilhaçar o que já foi inteiro, sólido e consistente.

— Carime Elmor

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Mil olhos, mil braços: relatos de um punk antropofágico na China vermelha”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *