R$40.00

A Origem do Estado Islâmico – O Fracasso da “Guerra ao Terror” e a ascensão jihadista

Autor: Patrick Cockburn
Prefacio: Reginaldo Nasser
Tradução: Antonio Martins
Paginas: 208
ISBN: 978-85-69536-00-0

Em estoque

Descrição

A primeira e mais completa obra sobre o surgimento do Estado Islâmico. Patrick Cockburn foi considerado o Melhor Jornalista Estrangeiro pela British Journalism Awards e premiado como Melhor Repórter do Ano pela The Press Awards.

Nascido em meio à guerra civil do Iraque e Síria, o Estado Islâmico (ISIS) começou a atormentar o mundo em 2014, tornando-se uma poderosa força no Oriente Médio. Combinando fanatismo religioso e façanhas militares, o autodeclarado Califado apresenta uma nova ameaça para a estabilidade política em toda região.

Em A Origem do Estado Islâmico, o veterano jornalista Patrick Cockburn descreve o dramático conflito por detrás dos acontecimentos desencadeados pela política externa dos Estado Unidos. Cockburn demonstra como o Ocidente criou as condições ideais para o explosivo sucesso do ISIS, ao fracassar na “Guerra ao Terror” no Iraque e fomentar a guerra civil na Síria. O Ocidente – EUA e OTAN em particular – subestimou o potencial das milícias até as últimas evidências e falhou em impedir que os principais patrocinadores do 11 de Setembro continuassem amparando grupos jihads através da Arabia Saudita, Turquia e Paquistão. A volta da ameaça dos jihadistas está apenas recomeçando.

“Patrick Cockburn, que fez de longe as melhores reportagens sobre este tema, descreve a situação como uma estratégia de Alice no País das Maravilhas. Os EUA querem destruir o ISIS, mas opõem-se a todas as forças que estão a combatendo o ISIS. O principal estado que se opõe ao ISIS é o Irã, que apoia o governo xiita do Iraque. Mas o Irã, como se sabe, é nosso inimigo. Provavelmente as principais tropas terrestres que combatem o ISIS são os curdos do PKK e os seus aliados, que estão na lista de terroristas dos EUA.”Noam Chomsky

“Um dos mais certeiros e corajosos jornalistas no Iraque.”Sdiney Blumenthal

“O Estado Islâmico é uma dessas questões que aparecem do nada e desafiam a sabedoria convencional. Por selvagem, é fácil detestá-lo. Por caótico, acredita-se que é um fenômeno passageiro. Pelas duas coisas formam-se opiniões a seu respeito baseando-as no nada. Cockburn resolve o problema de quem está meio perdido por ter chegado no meio do filme. Com décadas de experiência no Oriente Médio, em 206 páginas, ele informa e prova o seguinte: A ‘Guerra ao Terror’ de George Bush e Barack Obama fracassou catastroficamente. O ISIS é o filho dessa guerra e veio para ficar.”Elio Gaspari, Folha de São Paulo

“Seus relatos sobre o Iraque são um exemplo para desvendar as mentiras por detrás da complexidade política e social de uma das maiores crises mundias. Ele escreve de maneira firme, terna e clara, com um olhar seguro e bem informado.” – Orwell Prize Judges

“Em meio a tantos livros publicados sobre os conflitos que remodelam o Oriente Médio, poucos são tão informativos e aguçados como ‘A Origem do Estado islâmico’.” – The Observer

“Uma narrativa rica em detalhes.” – New York Times

“Uma autoridade no assunto.” – Washington Post

Leia em nosso blog a entrevista que Patrick Cockburn concedeu ao Estadão: “O ISIS é mais violento e eficiente que o governo”

BOOK TRAILER

Leave a Reply

*

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

detail product

    No detail information

about the author

Author

Patrick Cockburn é correspondente no Oriente Médio do jornal britânico The Independent. Trabalhou no Financial Times em 1991. Escreveu três obras sobre a história recente do Iraque, além de memórias (The Broken Boy) e, com seu filho, um livro sobre esquizofrenia, Henry's Demons, indicado para o prêmio Costa Award. Foi o vencedor do Prêmio Martha Gellhorn em 2005, do Prêmio James Cameron, em 2006, e do Prêmio Orwell de Jornalismo, em 2009. Foi eleito Comentarista Estrangeiro do Ano pelo Comment Awards, em 2013. Em 2014, em plena ascensão do Estado Islâmico, foi considerado o Melhor Jornalista Estrangeiro pela British Journalism Awards e Melhor Repórter do Ano pela The Press Awards.