A economia do conhecimento

Autor: Roberto Mangabeira Unger
Tradução: Leonardo Castro
Revisão: Tarcila Lucena
ISBN: 978-85-69536-29-1
Ano: 2018

R$50.00

Sobre o autor

Roberto Mangabeira Unger

Filósofo e um dos mais jovens professores da Universidade Harvard. Por duas vezes foi ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República do Brasil. Sua obra de filosofia, teoria social e direito é citada por intelectuais de peso, como Perry Anderson, Jurgen Habermas e Richard Rorty.

“Roberto Mangabeira Unger é um visionário incansável.”
— New York Times

“Roberto Mangabeira Unger (é) a resposta do Brasil a John Stuart Mill (um dos fundadores do pensamento liberal) um século e meio depois…  um filósofo político extaordinário.”
— Chronicle of Higher Education

“Uma mente filosófica do terceiro mundo que virou a mesa para tornar-se intérprete e profeta do primeiro mundo.”
— Perry Anderson

“A obra de Roberto Mangabeira Unger talvez possibilite algum dia um novo romance nacional…  um futuro nacional ainda não sonhado.”
— Richard Rorty

Surge nas principais economias do mundo nova vanguarda da produção, a economia do conhecimento. Em cada setor da economia, porém, aparece como franja que exclui a grande maioria de trabalhadores e empresas. O resultado da exclusão é deprimir o crescimento e agravar a desigualdade.

Seguindo o exemplo de Adam Smith e Karl Marx, para quem a melhor maneira de compreender o regime econômico e suas possibilidades de transformação é estudar a produção mais avançada da época, Roberto Mangabeira Unger analisa o que a economia do conhecimento é e o que ela pode vir a ser. Para Mangabeira,  o aprofundamento das produção de vanguarda e sua disseminação – o vanguardismo includente —  são obras gêmeas. Juntas, têm potencial revolucionário: acelerar o crescimento, reverter a desigualdade e empoderar todos os participantes no processo produtivo.

Para operar esta transformação, é preciso mudar não apenas práticas produtivas e instituições econômicas, mas também a educação, a cultura e a política. É preciso também contar com ideias que a teoria econômica estabelecida não fornece. Mangabeira esboça as grandes linhas destas alternativas de organização social e de pensamento econômico.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “A economia do conhecimento”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.